sexta-feira, 26 de junho de 2009

De videiras e brejos

Cada vez que alguém levanta uma taça de vinho produzido em Banrock Station, no sul da Austrália, está apoiando projetos ambientais pelo mundo. Até agora, mais de US$ 4 milhões tiveram esse fim, mesmo depois que a vinícola foi incorporada pela gigante Constellation. Na verdade, o grupo encampou como nunca esse apelo que também é de marketing. "Good Earth, Fine Wine" é o slogan da propriedade. O exemplo começou em casa. As terras adquiridas em 1994, às margens do rio Murray, estavam extremamente degradadas, depois de mais de 80 anos servindo basicamente como pastagem, onde pouco ou nenhum cuidado era dedicado a seu ecossistema de banhados e brejos. Foi preciso recuperar a área, com a ajuda não somente das "ciências" dos viticultores. É sintomático que, ao lado daqueles que cuidam do vinho, a propriedade tenha nos seus postos-chaves profissionais ligados à ecologia. Tony Sharley é o gerente do Wine and Wetland Center. Isso mesmo, o vinho nessa propriedade nunca é dissociado da sua terra úmida. Tony é especializado em recuperação e conservação de ecossistemas e tem comemorado a volta de animais silvestres, dos pássaros nativos. Hoje são 600 acres de vinhedos curiosamente espalhados entre manguezais e uma vegetação típica renascidos num total de 3600 acres. Da Banrock Station, por conta das altas temperaturas locais, saem vinhos muito frutados das uvas Shiraz, Cabernet Sauvignon, Merlot, Chardonnay e Semillon. E o turista que ergue a taça nas salas de degustação é o mesmo que brinda a política conservacionista de Banrock.


www.banrockstation.com.au

DC de 25/6/2009

Um comentário:

Beatriz disse...

Guilherem,

Parabéns pela qualidade do seu texto, simpatia e erudição. Depois de tantos anos foi realmente um prazer revê-lo e conhecer a Ana!

Abraços,

Bia Malamud